Untitled Document
 
Olá! CONECTE-SE AO CEBATUIRA ou CADASTRE-SE!
Untitled Document
Sua cesta está vazia
Rua Rodriges Alves, 588
Ribeirão Preto - S.P.
Cep: 14050-090 - Vila Tibério

Centro Espírita Batuíra Favoritos Centro Espírita Batuíra FACEBBOK
 Home   Centro Espírita   Loja Virtual   BELE   Estudos   Efemérides   Mensagens   Onde Estamos   Contato 
 
Estudos Imprimir Indique voltar
O Céu e o Inferno  |  Segunda Parte - Exemplos Capitulo IV     |  03/07/2006
ESPÍRITOS SOFREDORES - 2
"(...)Fui no mundo um ser inútil; não fiz uso algum proveitoso das minhas faculdades; a fortuna serviu apenas à satisfação das minhas paixões, aos meus caprichos de luxo e à minha vaidade; não pensei senão nos gozos do corpo, desprezando os da alma e a própria alma. Descerá a misericórdia de Deus até mim, pobre Espírito que sofre as conseqüências das suas faltas terrenas? (...)"Auguste Michel(1)

O presente é resultado do passado, esta afirmativa é válida em qualquer período da existência do homem , seja quando encarnado na Terra ou desencarnado no mundo Espiritual. A liberdade para escolher caminhos e´acompanhada pela responsabilidade do que se realiza. É o que mostra o depoimento de Auguste Michel quando evocado alguns dias depois da morte .
Allan Kardec comenta que (...) Auguste Michel,era um moço rico, boêmio, gozando larga e exclusivamente a vida material. Conquanto inteligente, o indiferentismo pelas coisas sérias era-lhe o traço característico.

Sem maldade, antes bom que mau, fazia-se estimar por seus companheiros de pândegas, sendo apontado na sociedade por suas qualidades de homem mundano. Não fez o bem, mas também não fez o mal. Faleceu em conseqüência de uma queda da carruagem em que passeava.(....)(1 )e são suas as palavras que iniciam o estudo de hoje. "(...)Fui no mundo um ser inútil; não fiz uso algum proveitoso das minhas faculdades; a fortuna serviu apenas à satisfação das minhas paixões, aos meus caprichos de luxo e à minha vaidade; não pensei senão nos gozos do corpo, desprezando os da alma e a própria alma...(..)

O viver na Terra propicia ao homem prazeres materiais, que o induzindo a procurá-los, leva-o a amar a vida terrena, condição necessária para que ele queira permanecer na Terra, progrida e concorra para o progresso do mundo que o acolhe. Para prover as necessidade terrenas, Deus deu ao homem o instinto de conservação, desenvolvido desde os reinos vegetal e animal e o direito de ter, de usar os bens materiais, de usufruí-los, sentindo prazer no seu uso(2).

Na condição de espírito simples e ignorante ,no inicio de sua caminhada evolutiva ,o instinto de conservação foi o melhor guia do homen; à medida entretanto que vai desenvolvendo suas potencialidades como a inteligência e a vontade ,sua tendência apegar-se às sensações.Como a inteligência desenvolve-se mais rapidamente que os sentimentos, na ausência de sentimentos como a fé, a esperança, a caridade, o homem tende a prender-se à sensações materiais. 
Vivendo em uma sociedade materialista, não é de surpreender que o homem se sinta impelido a aceitar como natural todas as atrações da matéria e todos os prazeres que isto proporciona.

Sobre isso Allan Kardec(3) expressa-se nestes termos;

(...) O Espírito encarnado se acha sob a influência da matéria; o homem que vence esta influência, pela elevação e depuração de sua alma, se aproxima dos bons Espíritos, em cuja companhia um dia estará. Aquele que se deixa dominar pelas más paixões, e põe todas as suas alegrias na satisfação dos apetites grosseiros, se aproxima dos Espíritos impuros, dando preponderância à sua natureza animal...(3)

O egoísmo e o orgulho compõem o que Kardec designa como sendo as paixões. (4) (...) Ensinam-nos que o egoísmo, o orgulho, a sensualidade são paixões que nos aproximam da natureza animal, prendendo-nos à matéria; que o homem que, já neste mundo, se desliga da matéria, desprezando as futilidades mundanas e amando o próximo, se avizinha da natureza espiritual.
Em seu depoimento Auguste Michel declara (...)Por que sofrer ainda, quando o corpo não mais sofre? Por que existir sempre esta dor horrenda, esta angústia terrível?...

A resposta a esta indagação pode ser encontrada na resposta dada à questão 933(5) onde os Espíritos comentam que" (...) o ser humano só é infeliz, geralmente, pela importância que liga às coisas deste mundo". " (...) O homem moral, que se elevou acima das necessidades artificiais criadas pelas paixões, tem, desde este mundo, prazeres desconhecidos do homem material(6)
Emmanuel ensina que (...) a nossa mente possui, entre outros, o "Departamento do Desejo no qual operam os propósitos e as aspirações"(7). O homem, que procura gozar a vida, tirar proveito das situações, explorar os sentidos até as últimas conseqüências, logicamente acredita que pode construir uma vida de prazeres e vitórias. Desejos sensuais, gozos de sensações exaltados, posse, poder, prestígio constituem-se em forma de aprisionamento do ser, atando-o aos aspectos materiais da vida. Quando da separação do corpo,matéria física, no momento do desencarne ,este aprisionamento permanece, como confirma o depoimento de Auguste Michel (...)Ainda estou ligado ao corpo. Apenas com dificuldade posso ver onde devo encontrar-me; meu corpo lá está, e por que também lá permaneço sempre?...(1)

A libertação deste processo se faz quando o homem se percebe como um ser espiritual, vivendo, provisoriamente, num corpo físico, continuando o exercício da vida no plano espiritual, após a morte desse corpo. Ao compreender que o viver tem um sentido definido de aprendizado e desenvolvimento contínuo; quando raciocina em torno das conseqüências desagradáveis ou dolorosas, produzidas muitas vezes pelos excessos dos prazeres terrenos de toda espécie, ele busca dominar-se, passando a perceber também a necessidade de ter, de usar esses bens, sem excesso, considerando-os como instrumentos do seu desenvolvimento espiritual.E para reflexão final que este capitulo traz ,fiquemos com Paulo, na Primeira epístola aos Coríntios, 10:23:-

"Tudo é permitido, mas nem tudo convém; tudo é permitido, mas nem tudo edifica."

Laurelucia Orive Lunardi
Julho / 2006
 
Bibliografia:
Kardec ,Allan, " Céu e Inferno" Segunda Parte,capitulo CapituloIV : ESPÍRITOS SOFREDORES Leda de Almeida Rezende Ebner," Gozo dos bens da Terra" artigo publicado Jornal Verdade e Luz Nº 170 de Março de 2000 Kardec ,Allan, "O Livro dos Espíritos", Introdução p.25 Kardec ,Allan, "O Livro dos Espíritos" Introdução p.27 Kardec ,Allan,"O Livro dos Espíritos" questão 933 Kardec ,Allan,"O Livro dos Espíritos", questão 941 Espírito Emmanuel/Francisco Candido Xavier, Pensamento e Vida capítulo 2
 
ENVIE SEU COMENTÁRIO
ADICIONAR AOS FAVORITOS
 
Documento sem título
 
  Menu
  Estudos
 Estudos Obras Básicas
ESTUDOS BATUIRA  O Livro dos Espíritos
ESTUDOS BATUIRA  O Livro dos Médiuns
ESTUDOS BATUIRA  O Evangelho Segundo o Espiritismo
ESTUDOS BATUIRA  O Céu e o Inferno
ESTUDOS BATUIRA  A Gênese
 Estudos sobre evangelização e mocidade
ESTUDOS BATUIRA  Evangelização Infantil
ESTUDOS BATUIRA  Mocidade Espírita Batuira
 Estudos temáticos
ESTUDOS BATUIRA  Estudo Evangélico
ESTUDOS BATUIRA  Ciência Rumo ao Espiritísmo
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Home
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Centro Batuira
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Loja Virtual
BATUIRA RIBEIRAO PRETO BELE
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Bazar
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Mensagens
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Poesias
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Reflexões Espíritas
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Coral
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Batuira em Coral
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Contato
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Onde estamos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Calendário C.E.B.
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Programação Especial
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Mapa do site
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Canal Batuira
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Galeria de Fotos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meu Cadastro
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meus favoritos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meus Pedidos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Minhas Participações
   
   
   
 
 
Receba nosso Newsletter
Receba nossas mensagens, calendário e estudos por e-mail
enviar
 
Rua Rodriges Alves, 588
Ribeirão Preto - S.P.
Cep: 14050-090 - Vila Tibério
  Centro Espirita Batuira Favoritos   Centro Espirita Batuira FACEBBOK
 Copyright 2014 | Centro Espírita Batuira- Todos os direitos reservados.          by vianett