A Nova Era

     Detalhes vindos de diferentes fontes falam de tempos marcados por Deus, em que grandes acontecimentos acontecerão visando preparo para adequação de campo, a fim de que novas estruturas fluídicas se instalem tendo como objetivos os novos tempos.

     Na realidade, acontecem momentos de transição de um ciclo evolutivo que exige transformações tanto na parte física como no moral de seus habitantes.

     Desse modo, leis da Natureza buscam equilíbrio no campo do indivíduo, choques, embates duros tendo em vista despertar a consciência do amor, compreensão, aprimoramento, refinamento dos sentimentos, fraternidade, pensamentos e ações em que o outro deixe de ser exatamente o outro, mas o irmão a ser amado.

     Em síntese – o Planeta, a matéria física deve mudar pela transformação dos elementos que o compõem, assim como a qualidade evolutiva dos encarnados e desencarnados que estruturam sua população.

     De modo geral, os habitantes se inquietam; olham e apreciam caos, sem conseguir perceber Deus velando, e seus Ministros encarregados de pormenores, que mantendo a unidade por toda parte, envolvem tudo em harmonia para novos rumos. Visam objetivos.

     Ensinam que essa transformação não acontecerá por meio de algo que aniquile de uma vez toda a geração, mas de forma gradual, tanto na partida como na chegada. Não há para os que são retirados, um sentido de castigo; há cuidados, acolhimentos, sendo colocados em lugares seguros, sob tutela dos Irmãos Maiores. Quanto aos que chegam, trazem evidentes disposições para o bem.

     Em instantes tão marcantes da caminhada espiritual de cada um, que práticas favoreceriam o homem?

     Jesus fala delas desde quando aqui chegou: conclamava sem cessar à renovação, à preparação aos caminhos do Pai. Tal como ontem, permanecem os convites à construção consciente dos hábitos no bem; prece; silêncio; meditação; recolhimento; alimentação; perdão; fraternidade; altruísmo; coragem; certezas em total ausência do medo; tudo quanto merecer ser feito, realizar da melhor forma, expressando em cada detalhe o amor a Deus como força sustentadora em todos os movimentos e circunstâncias; harmonia com as leis da natureza na síntese – amar a Deus sobre as coisas e ao próximo como a mim mesmo.

     Em meio ao desenrolar das civilizações, nos tempos que se perdem nas dobras do passado, o homem material se sobrepujou em cada momento, exteriorizando-se como capaz, destemido, criativo, corajoso, rude, arrogante, conquistador de tudo e todos, e esses objetivos dos desejos abriram-lhe campo de forças que praticamente se tornaram ilimitadas.

     Nos tempos que chegam, acontece apenas um reajustamento de valores, nos quais essa passagem para alvoradas novas requer o homem espiritual. Esse estará unido ao homem material, mas terá o Evangelho como luzeiro a iluminar-lhe os passos.

     Vive-se o crepúsculo que antecede a noite, que será seguida pela aurora de irradiações consoladoras para a Humanidade regenerada pela opção pessoal daqueles que se decidirem a viver com Jesus.

Leda Marques Bighetti - Janeiro/2023

 


______________________________________________________________________________________________________________
http://www.cebatuira.org.br/
2023/2/7 | 14:41:47

IMPRIMIR