Interesses e Interesseiros

      Interesseiro é o que se diz de quem tem atenção, motivação para agir visando unicamente o pessoal interesse; diz-se também do egoísta, cobiçoso, ganancioso, que navega em meio ao que lhe apraz.

     Como identificar o interesseiro?

      São tantas facetas com as quais se exterioriza que certamente não se faz fácil essa identificação de forma ostensiva, clara. Pode apresentar-se como alguém “folgado” que se aproveita da bondade ou ingenuidade do outro; é alguém que de repente insiste em se tornar íntimo; é o que se aproxima porque nota que você de alguma forma tem ou conhece alguém que possa favorece-lo; é o que some quando situações ficam difíceis ou delicadas; valoriza tudo quanto é relacionado a nomes, marcas, luxo, dinheiro, procurando agradar e apoiar mesmo quando os dois sabem que a atitude a ser tomada não é a melhor. Cuidado ainda, com os que elogiam demais, achem-no incrível, mesmo quando você sabe que não é bem assim.

     Embora a lista tenha se estendido, contém apenas detalhes sinalizadores para que se esteja alerta, não só em relação ao outro, mas também no campo íntimo, quando algum resquício desses “desejos”, mesmo que de leve, assomar. Atenção.

      Os que estimam com honestidade pessoas, trabalhos, ocupações, pelo prazer que cada situação oferece, estes apoiam, proporcionam momentos enriquecedores nos quais todos crescem.

      Os sentimentos de confiança que se estabelecem entre as pessoas são alimentados no correr dos dias, conquistados ou estabelecidos pouco a pouco. Cuidado, portanto, analise para entender porque este ou aquele de repente se aproxima por aquilo que você pode proporcionar.

      O desinteressado valoriza, preza, é presente nos variados momentos das alegrias, angústia, necessidades ou abundância.

      Quando tal não acontecer, sobrevindo a decepção sobre alguém que se julgava leal, não se abater e entender o ocorrido como oportunidade de despertamento no sentido de mais atento, perceber os que merecem consideração diferente, ao menos sem tanta vigilância.

      Os verdadeiros desinteressados nem sempre apoiarão em tudo no exercício da sinceridade que é primordial em qualquer relacionamento ou atividade.

      O tema, encaminha para a realidade do ser diante de si, nos relacionamentos para com os outros e que se esteja desperto frente às aproximações.

Leda Marques Bighetti – Março/2020

______________________________________________________________________________________________________________
http://www.cebatuira.org.br/
2020/9/27 | 23:04:23

IMPRIMIR