Lá como Aqui

Ao estudar as cartas de Paulo para as comunidades que visitara, relembrando ensinamentos cristãos, destacando este ou aquele fato, ressaltando responsabilidades, poeticamente estruturando o belíssimo texto sobre o amor genuíno, os dons espirituais, ele destaca, lá como hoje que a vida humana se processa, embora mudando vestes, com formas, com repetições constantes.

     Quando o Cristianismo era divulgado pelo mundo e quando Paulo lutava para que a verdade cristã se implantasse, encontraremos naqueles núcleos nascentes, nos novéis adeptos, praticamente os mesmos conflitos ou problemas com que nos defrontamos tanto no meio espírita quanto nas demais correntes de pensamento cristão.

     Lá como aqui, julgamos o semelhante, condenamos atitudes, formas de ação, indicando nosso entender como a melhor forma para ações perfeitas.

     E por que tal se dá?

     Certamente, porque lá como aqui, não compreendemos convites espirituais com os quais o Cristianismo nos brindou em qualquer das escolas cristãs que frequentamos.

     O Evangelho é um só e em tudo continuamente somos alertados a não julgar, apontar com restrições os que agem desta ou daquela forma ou que segundo nosso ponto de vista, cometem erro de escolha.

     Atitudes, escolhas, opções tudo está dentro de contexto especial, próprio, coerente com o momento espiritual que como Espírito em constante vir a ser, um dia no tempo, fará outras escolhas certamente em constantes superações.

     Não esquecer que, quando formalistas no tempo de Jesus, condenamos o próprio Cristo por sentar-se à mesa com os publicanos, ir na casa de Zaqueu, ater-se com “pecadores”.

     Não percebemos lá e continuamos aqui sem oferecer perspectivas novas como ser espiritual que somos.

     Não despertos nos é impossível sentir Jesus modelo, guia, abrindo caminhos, derrubando limites para que a Humanidade se abra em nova civilização, iniciando no Planeta um mundo de compreensão espiritual avançando com mais facilidade para um tempo melhor.

     As cartas de Paulo, portanto, lá como aqui, convocam para que o homem se liberte desses atavismos sabendo que há muito o que fazer em relação a si construindo-se em valores reais.

     Só assim, quando tudo procura fazer para renovar-se em Jesus, no rigor e na retidão de Paulo “...tudo faz pelo bem de todos, porque cumpre a lei de Deus”. (O L.E 629)

                                                                                              Leda Marques Bighetti – Outubro/2017

______________________________________________________________________________________________________________
http://www.cebatuira.org.br/
2017/10/19 | 07:38:33

IMPRIMIR