Barreiras - Parte 1

Estudando o desenvolvimento do Cristianismo no mundo pagão, necessário se faz recordar que naquele tempo, trazíamos em fundas raízes a proposta monoteísta de Moisés. Desvinculada da sua origem divina a fixação era totalmente centrada na lei civil punitiva, bárbara.

     Plena de idolatria, violência, pode-se afirmar que o aspecto espiritual não se priorizou ou foi percebido.

     Nesse estado mental, a grande maioria desse povo, num futuro vai aderir às propostas cristãs também se atendo ao material. A Casa do Caminho polariza-se como meio, núcleo distribuidor de benesses: os passes, curas, acolhimento de doentes, estropiados, obsedados, alimento e amparo eram fortes atrativos.

     A tradição oral recheada de histórias, interpretações pessoais, simbolismos e associações bem a gosto do imaginário imperavam.

     Os reais convites de Jesus, a orientação espiritual que convidavam ao enfrentamento da vida, a vencer desenvolvendo-se espiritualmente, naquele momento, não encontravam eco em mentes simples, ingênuas. O transcendente, o reconstruir-se, o amor eram detalhes que não se apresentavam como sendo interessante, muito bom, melhor.

     Vai se somar outro forte detalhe: imersos na crença judaica as medidas impeditivas em relação a inúmeros detalhes, principalmente em relação à ingestão de alimentos, causadores estes de impureza e pecado, constrangiam apenas ao que estritamente era permitido.

     Éramos incapazes de perceber que tudo quanto existe é criação divina e pertencem, são para uso da natureza terrena, não havendo, portanto, alimento, povo ou criação impura.

     O mesmo raciocínio em relação à restrição de Pedro em ir à casa do centurião romano porque este era judeu. Tal atitude era entendida como respeito à Lei.

     Não percebíamos que não há impedimentos em relação a cor da pele, estágio cultural, raça ou qualquer outro tipo de diferenças físicas, não sendo estas que enobrecem ou diminuem este ou aquele.

     E, em meio ao tempo, as almas continuaram em passando pela vida sem se deter no profundo do contido nos fatos.

     Essas vivências, levo-as para meu momento espiritual do momento?

     Haverá outros detalhes que interferem no hoje?

 

Leda Marques Bighetti – Junho/2017     

______________________________________________________________________________________________________________
http://www.cebatuira.org.br/
2017/12/16 | 22:15:50

IMPRIMIR