Untitled Document
 
Olá! CONECTE-SE AO CEBATUIRA ou CADASTRE-SE!
Untitled Document
Sua cesta está vazia
Rua Rodriges Alves, 588
Ribeirão Preto - S.P.
Cep: 14050-090 - Vila Tibério

Centro Espírita Batuíra Favoritos Centro Espírita Batuíra FACEBBOK
 Home   Centro Espírita   Loja Virtual   BELE   Estudos   Efemérides   Mensagens   Onde Estamos   Contato 
 
Estudos Imprimir Indique voltar
Evolução Humana  |  O Ser Humano É Um Elemento Incorporador E Criador De Cultura     |  02/09/2002
O PROCESSO DE HOMINIZAÇÃO
Consideremos o texto abaixo (2)
            
“A formação do homem, partindo de um antropóide, ocupou um tempo imenso. Dezenas de séculos se sucederam até o homem adquirir a linguagem, característica primordial de sua condição humana. Por outro lado, tomando-se o tempo em outra perspectiva, o passado ainda pode ser vasculhado e sus sinais ainda estão presentes. Aqui um pedaço de crânio, acolá uma tíbia, ali alguns utensílios fabricados pelos nossos antepassados... Buscamos o passado para compreender o nosso presente e prever o nosso futuro.
            
Quando, qual o momento, e o que marcou, por unicidade, a transição rumo a nova classe de ser vivo? São muitas as perguntas, como, por exemplo, se a mudança primordial teria se manifestado, ou sida obtida por uma determinada criatura, por um grupo particular de indivíduos, ou, se teria existido uma prontidão realizada pela natureza em vários grupos de antropóides em diferentes lugares. Pouco ou quase nada sabemos sobre isso. É preciso supor diferenciações biológico-culturais nesse processo de Hominização. É certo que o andar ereto antecedeu à locomoção ereta ligeira. Pode-se dizer, por outro lado, que o crescimento do cérebro, principalmente do córtex, exigiu a postura ereta. Em conseqüência, o homicídio em formação teve suas mãos liberadas para a fabricação de utensílios.
            
As pressões do meio ambiente, eventualmente, exigiriam novas aprendizagens. Erupções vulcânicas, processos de devastações, (seja pelo fogo, seja pela água), de todos os indivíduos, e em particular dos homídios, novas e diferentes maneiras de relacionamento com o meio ambiente, e, também entre si mesmos. Dentre essas novas formas, o processo de comunicação sobre tais ocorrências ganhava feição de um curso obrigatório, cuja aprovação podia significar a própria sobrevivência.
            
Sem dúvida, essa necessidade de comunicação se transformou em uma das bases da aquisição da linguagem e do pensamento menos segmentado, mais contínuo.
           
 Junto com a hominização, teve início outro grande processo, que foi o da individuação do homem. O cérebro ao comportar o pensamento menos interrompido, formava condições para fantasias, desejos e gradativamente, para a idéia de separação. Possivelmente essa idéia inicialmente separou a espécie, depois a tribo, o grupo e finalmente o indivíduo.
            
Tal questão não se apresenta apenas no âmbito da sociologia; mas pode ser considerada de ordem psicológica e antropológica, e, sua compreensão impõe a necessidade de se olhar à evolução humana.
            
O afastamento do homem da natureza se processou através de um longo caminho, em um longo tempo, sem atalhos e, no entanto, com muitos equívocos. Ao se desgarrar da natureza pensou o homem ser o seu senhor... “Que ele domine os peixes do mar, as aves do céu, os animais domésticos e todos os répteis que rastejam sobre a terra” – (Gênesis, 1:2). Senhor da terra, da vegetação, dos animais, enfim, de tudo que o homem disporia e comandaria a seu benefício próprio. No entanto, séculos após séculos de uso, e principalmente de abuso, o homem, perplexo, recoloca suas dúvidas, especialmente em relação à idéia de que é o senhor da natureza, entendendo-se agora, como um dos membros da coletividade de seres vivos do planeta.
            
Apesar disso, o afastar-se da natureza foi um dos principais mecanismos da necessária individuação humana. Afastar-se dos pais, dos líderes, dos chefes, da tribo, foi outro mecanismo e permitiu ao homem a sua própria configuração do que ele não é, para direcionar-se, pouco a pouco, ao que é, ou, ao que deve ser. O eu não sou, o eu que não é a árvore, o animal, o pai, a mãe, o outro, busca, no processo da comparação, o seu encontro consigo mesmo... Somos parte integrante do mundo e não podemos utilizá-lo como se fossemos estrangeiros, verdadeiros alienígenas. Somos parte da humanidade e não podemos rejeitá-la ou a ela nos opormos...Aos outros nos unimos e partilhamos um extraordinário destino comum: o da evolução sem limites, ao menos do ponto de vista espírita.
            ...O homem é também produtor do seu próprio progresso na medida em que busca novos paradigmas norteadores de novas visões da vida e do mundo ".
 
Luiza de Campos Freire Favareto
Setembro / 2002
 
Bibliografia:
1. A Gênese – Allan Kardec 
2. Rumos para uma nova Sociedade – Autores diversos- Texto: Almir Del Prette – pág 162 
3. Kardec, Allan – Cap XVIII – item 5 
4. O ser consciente – Joanna de Angelis/ D.P.Franco 
5. Educação como prática da Liberdade – Paulo Freire Pedagogia da Esperança – Paulo Freire Pedagogia do oprimido – Paulo Freire
 
ENVIE SEU COMENTÁRIO
ADICIONAR AOS FAVORITOS
 
Documento sem título
 
  Menu
  Estudos
 Estudos Obras Básicas
ESTUDOS BATUIRA  O Livro dos Espíritos
ESTUDOS BATUIRA  O Livro dos Médiuns
ESTUDOS BATUIRA  O Evangelho Segundo o Espiritismo
ESTUDOS BATUIRA  O Céu e o Inferno
ESTUDOS BATUIRA  A Gênese
 Estudos sobre evangelização e mocidade
ESTUDOS BATUIRA  Evangelização Infantil
ESTUDOS BATUIRA  Mocidade Espírita Batuira
 Estudos temáticos
ESTUDOS BATUIRA  Estudo Evangélico
ESTUDOS BATUIRA  Ciência Rumo ao Espiritísmo
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Home
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Centro Batuira
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Loja Virtual
BATUIRA RIBEIRAO PRETO BELE
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Bazar
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Mensagens
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Poesias
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Reflexões Espíritas
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Coral
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Batuira em Coral
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Contato
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Onde estamos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Calendário C.E.B.
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Programação Especial
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Mapa do site
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Canal Batuira
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Galeria de Fotos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meu Cadastro
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meus favoritos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meus Pedidos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Minhas Participações
   
   
   
 
 
Receba nosso Newsletter
Receba nossas mensagens, calendário e estudos por e-mail
enviar
 
Rua Rodriges Alves, 588
Ribeirão Preto - S.P.
Cep: 14050-090 - Vila Tibério
  Centro Espirita Batuira Favoritos   Centro Espirita Batuira FACEBBOK
 Copyright 2014 | Centro Espírita Batuira- Todos os direitos reservados.          by vianett