Untitled Document
 
Olá! CONECTE-SE AO CEBATUIRA ou CADASTRE-SE!
Untitled Document
Sua cesta está vazia
Rua Rodriges Alves, 588
Ribeirão Preto - S.P.
Cep: 14050-090 - Vila Tibério

Centro Espírita Batuíra Favoritos Centro Espírita Batuíra FACEBBOK
 Home   Centro Espírita   Loja Virtual   BELE   Estudos   Efemérides   Mensagens   Onde Estamos   Contato 
 
Estudos Imprimir Indique voltar
O Céu e o Inferno  |  Segunda Parte - Exemplos Capitulo VII     |  01/07/2008
ESPÍRITOS ENDURECIDOS - CONTINUAÇÃO
“... A crença é o primeiro passo; vindo em seguida a fé e a transformação a seu turno; mas, além disso, força é que muitos venham revigorar-se no mundo espiritual”(1)

Na epistemologia um ramo, da filosofia que trata dos problemas filosóficos relacionados à crença e ao conhecimento, crença é um estado mental que pode ser verdadeiro ou falso. Ela representa o elemento subjetivo do conhecimento. Platão, iniciador da tradição epistemológica, opôs a crença (ou opinião - "doxa", em grego) ao conceito de conhecimento.

Como é considerada como um estado mental, a crença segundo alguns autores é uma certeza .A certeza por sua vez pode ser observada em quatro níveis: Opinião, Convicção, Crença e Fé.

Opinião:- è a certeza que pode ser mudada com facilidade, de acordo com percepções que temos das coisas Segundo Gustave Le Bon, psicólogo francês conhecido pensador do inicio do século XX: ” As opiniões representam geralmente pequenas crenças, mais ou menos transitórias (2).

Convicção:- è a certeza com uma carga emocional tão intensa que pode provocar reações às vezes, desprovidas de qualquer racionalidade.
A convicção segundo o filosofo alemão Friedrich Nietzsche... ”As convicções são inimigos da verdade bem mais perigosos que as mentiras”(3) 

Crença:- geralmente baseada em experiências, ou em experiências salpicadas com fortes emoções. É, por natureza, mais forte que a opinião e mais irracional que a convicção.

Com relação a crença, Krishnamurti, filósofo indiano, comenta... ”A mente, procurando segurança, cria a crença. Ela a cria por si mesma, ou aceita as crenças de outros, e, quer ela própria a tenha criado, quer a tenha recebido de outros, a mente adota e diz “eu creio”. Ou, “projeta” a crença para o futuro e faz dela uma certeza, uma garantia, de acordo com a qual a mente disciplina a si própria. Segundo este autor”...A crença, inevitavelmente, divide”. “Pois como fatores diferentes só podem conduzir a crenças diferentes, um crê em Deus, e outro crê que não há Deus. Um é maometano, outro hindu, outro cristão, e que acontece então? O desejo de estar em segurança, psicologicamente, cria infalivelmente a divisão, porquanto estais criando e dando importância a várias coisas que são secundárias. Vede o que a crença está fazendo no mundo. Política ou religiosamente, há inúmeros planos, que acreditais capazes de resolver as nossas dificuldades. Há crenças religiosas extraordinariamente variadas, e cada indivíduo se atém à sua própria crença, porque ela lhe dá conforto; e o individuo se torna um meio de propaganda e exploração.

... Quando tendes uma crença e buscais a segurança em vossa crença pessoal, vós vos separais daqueles que procuram a segurança em outras formas de crença. Por conseqüência, todas as formas de crença se baseiam no separatismo, embora preguem a fraternidade”(4).
Fé:- é uma firme convicção de que algo seja verdade, sem nenhuma prova de que este algo seja realmente verdade, pela absoluta confiança que depositamos em algo ou alguém. A palavra Fé veio da palavra grega pí•stis, que transmite a ideia de confiança, fidúcia, firme persuasão, portanto fé pode ser considerado sinônimo dos verbos acreditar, confiar ou apostar.(5)
..."Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam a convicção de fatos que se não vêem". - Hebreus 11:1 (6) 
Em geral a fé está associada a algo de religioso. Ter fé em Deus, em Jesus, numa santa ou num santo. Algumas vezes, fé significa compromisso numa relação com Deus. Nesse caso, fé é usada no sentido de fidelidade. Tal compromisso não precisa ser cego ou submisso e pode ser baseado em evidências de caráter pessoal. No contexto religioso, "fé" tem muitos significados. Às vezes quer dizer lealdade a determinada religião. Nesse sentido, podemos, por exemplo, falar da "fé católica" ou da "fé islâmica".(5)

Segundo o Compêndio do Catecismo da Igreja Católica (7), a fé "é a virtude teologal pela qual cremos em Deus e em tudo o que Ele nos revelou e que a Igreja nos propõe para acreditarmos, porque Ele é a própria Verdade. Pela fé, o homem entrega-se a Deus livremente.

No Protestantismo,nas palavras do Catecismo de Westminster: "Fé em Jesus Cristo é a graça da salvação, por meio de qual nós recebemos e repousamos sobre ele para a salvação, como ele é ofertado para nós no evangelho". O objeto da fé salvadora é toda a revelação da palavra de Deus. Fé aceita e acredita nisso como verdade mais certa. Mas o ato especial de fé que une a Cristo tem como seu objeto a pessoa e o trabalho do Senhor Jesus Cristo (Jo 7:38; At 16:31). Esse é o ato específico de fé que um pecador é justificado perante Deus (Rm. 3:22, 25; Gl. 2:16; Jo 3:26-36; At 10:43; 16:31)(8)

A fé islâmica consiste numa frase - que deve ser dita com a máxima sinceridade - através da qual cada muçulmano atesta que "não há outro deus senão Allah e Muhammad é seu servo e mensageiro"; os muçulmanos xiitas têm por costume acrescentar "e Ali ibn Abi Talib é amigo de Deus". Esta frase também é dita quando se chama à oração (azan). De acordo com a maioria das escolas islâmicas, para se converter ao Islão é necessário proclamar três vezes a chahada ("o testemunho") perante duas testemunhas: Achadu ala ilaha ila Allah. Achadu ana Mohammad Rassululah. ("Testemunho que não há outra divindade senão Deus. Testemunho que Mohammad é seu profeta mensageiro")(9)

Para religiões que se baseiam em crenças, a fé também quer dizer que alguém aceita as visões dessa religião como verdadeiras. Sob este ponto de vista Krishnamurti em seu livro “O verdadeiro objetivo da vida” comenta:-... ”Cada conjunto de dogmas e crenças possui uma série de rituais, uma série de compulsões que amarram a mente e separam um homem do outro A crença é corruptora porque atrás dela e dos ideais de moralidade aninha-se o ‘eu ‘, o ego - o ego que está cada vez maior e mais poderoso. Achamos que crer em Deus é religião. Consideramos que crer é ser religioso. Se vocês não creem, serão considerados ateus e condenados pela sociedade. Uma sociedade condena os que não creem em Deus, a outra condena os que creem. Ambas são uma só e a mesma coisa. Nessas condições, a religião se torna uma questão de crer, e o crer atua como uma limitação sobre a mente, então a mente nunca é livre...” (10)

Sobre esse conceito atribuído às religiões dogmáticas como a "fé cega”,Allan kardec publicou em "O Evangelho Segundo o Espiritismo" uma proposição que se tornou famosa nos meios doutrinários espíritas: "Fé inabalável só é a que pode encarar a razão, face a face, em todas as épocas da Humanidade".(11) Allan Kardec analisa a fé religiosa e apresenta a condição da fé inabalável. A fé pode ser cega ou raciocinada. No primeiro caso, a fé nada examina e aceita sem controle o falso e o verdadeiro(12). Aquela que tem a verdade por base é a única que pode resistir às transformações devido ao progresso do conhecimento. Assim no Espiritismo a Fé e razão caminham juntos.A principio parece existir uma contradição de conceitos ,visto que a fé se funda na convicção e a razão, na dúvida ; desta forma ,a fé raciocinada parece um disparate. Entretanto é necessário analisar melhor esta questão:- como pensar é inerente ao ser humano duvidar também o e´. Allan Kardec em sua proposição apresenta que o primeiro o movimento seria o do raciocínio e, somente depois, a fé se constituiria. 

Importa ressaltar que fé raciocinada não é o mesmo que fé racionalizada, que e ´aquela que através do uso tendencioso da razão, como falsa concepção da realidade, como pretexto para justificar o dogma religioso em que se apóia, o que transforma o argumento racional em argumento ideológico. 

A fé raciocinada,– qualidade esta que a tornaria inabalável – seria aquela que se constituiria através de uma decisão racional, mas não apenas à razão de uma época ou situação, mas, que no exercício da própria fé se mantivesse em regime de racionalidade contínua. Significando que a crença espírita é basicamente uma fé que admite dúvida e com ela convive, durante todo o tempo. Trata-se, pois, de uma fé aberta, disposta a modificar as próprias opiniões ou o objeto de sua manifestação como crença, desde que satisfeitas as condições do livre exercício da razão.Isto é, busca sempre um saber mais amplo, argumenta e se questiona. Para isso, a fé espírita há de ser permanentemente reconstruída no diálogo com os diversos saberes, especialmente na interação entre o saber humano, de vertente científica ou filosófica .

“...A crença é o primeiro passo; vindo em seguida a fé e a transformação a seu turno;...(1)

Para que a transformação ocorra necessário se faz educar, mostrar, raciocinar, indicar, método mais trabalhoso e mais lento do que impor, decidir, determinar. Nada há na natureza que não possa ser pesquisado, caminhando-se para uma tomada de conhecimento gradual e crescente. É o sentido histórico da Humanidade, uma derrogação evidente do pretexto do sobrenatural (que nunca existiu) e o caminho para a verdade que libertará.

Laurelucia Orive Lunardi
Julho / 2008
 
Bibliografia:
1. Kardec ,Allan, O Céu e o Inferno, CAPÍTULO VII :- Espíritos endurecidos :- Lapommeray 2. Gustave Le Bon; As Opiniões e as Crenças. 3. Nietzsche, F. - Obras Incompletas. Coleção Os Pensadores; 4. Krishnamurti J. Uma Nova Maneira de Viver 5. http://pt.wikipedia.org/wiki 6. Bíblia Sagrada : Hebreus 11:1 7. Compêndio do Catecismo da Igreja Católica 8. Catecismo de Westminster 9. CARMO, António - Antropologia das Religiões 10. Krishnamurti J. “O verdadeiro objetivo da vida” 11. Kardec ,Allan, O Evangelho Segundo o Espiritismo 12. Kardec ,Allan, O Evangelho Segundo o Espiritismo( 12 )capítulo XIX do Evangelho Segundo o Espiritismo)
 
ENVIE SEU COMENTÁRIO
ADICIONAR AOS FAVORITOS
 
Documento sem título
 
  Menu
  Estudos
 Estudos Obras Básicas
ESTUDOS BATUIRA  O Livro dos Espíritos
ESTUDOS BATUIRA  O Livro dos Médiuns
ESTUDOS BATUIRA  O Evangelho Segundo o Espiritismo
ESTUDOS BATUIRA  O Céu e o Inferno
ESTUDOS BATUIRA  A Gênese
 Estudos sobre evangelização e mocidade
ESTUDOS BATUIRA  Evangelização Infantil
ESTUDOS BATUIRA  Mocidade Espírita Batuira
 Estudos temáticos
ESTUDOS BATUIRA  Estudo Evangélico
ESTUDOS BATUIRA  Ciência Rumo ao Espiritísmo
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Home
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Centro Batuira
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Loja Virtual
BATUIRA RIBEIRAO PRETO BELE
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Bazar
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Mensagens
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Poesias
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Reflexões Espíritas
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Coral
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Batuira em Coral
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Contato
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Onde estamos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Calendário C.E.B.
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Programação Especial
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Mapa do site
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Canal Batuira
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Galeria de Fotos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meu Cadastro
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meus favoritos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meus Pedidos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Minhas Participações
   
   
   
 
 
Receba nosso Newsletter
Receba nossas mensagens, calendário e estudos por e-mail
enviar
 
Rua Rodriges Alves, 588
Ribeirão Preto - S.P.
Cep: 14050-090 - Vila Tibério
  Centro Espirita Batuira Favoritos   Centro Espirita Batuira FACEBBOK
 Copyright 2014 | Centro Espírita Batuira- Todos os direitos reservados.          by vianett