Untitled Document
 
Olá! CONECTE-SE AO CEBATUIRA ou CADASTRE-SE!
Untitled Document
Sua cesta está vazia
Rua Rodriges Alves, 588
Ribeirão Preto - S.P.
Cep: 14050-090 - Vila Tibério

Centro Espírita Batuíra Favoritos Centro Espírita Batuíra FACEBBOK
 Home   Centro Espírita   Loja Virtual   BELE   Estudos   Efemérides   Mensagens   Onde Estamos   Contato 
 
Estudos Imprimir Indique voltar
O Céu e o Inferno  |  Segunda Parte - Exemplos Capitulo I   |  O passamento   |  01/07/2005
O PASSAMENTO - 2
Item 3 - A insensibilidade da matéria inerte é um fato, e só a alma experimenta sensações de dor e de prazer. Durante a vida, toda a desagregação material repercute na alma, que por este motivo recebe uma impressão mais ou menos dolorosa. É a alma e não o corpo quem sofre, pois este não é mais que instrumento da dor: - aquela é o paciente. Após a morte, separada a alma, o corpo pode ser impunemente mutilado que nada sentirá; aquela, por insulada, nada experimenta da destruição orgânica. A alma tem sensações próprias cuja fonte não reside na matéria tangível. (1)

Alma minha gentil, que te partiste
Tão cedo desta vida, descontente,
Repousa lá no Céu eternamente
E viva eu cá na terra sempre triste. 

Camões(2)
Perguntarão pela tua alma
A alma que é ternura,
Bondade,
Tristeza,
Amor.
Mas tu mostrarás a curva do teu vôo
Livre, por entre os mundos... 

Carlos Drummond De Andrade

Em todas as áreas do conhecimento e em todas as civilizações o homem tenta compreender sua essência. Cantada em prosa ou versos, como os acima citados; descrita na Antiguidade pelos filósofos gregos, como uma espécie de ar, fino e rarefeito, que sobreviveria ao ar mais grosso, essência do universo (Anaxímenes) ou como fogo fino e rarefeito (Heráclito) (3), a natureza imaterial humana assume posição destacada. Assim no Egito Antigo, a constituição humana era compreendida por apresentar várias almas, além do corpo material (Kha; Chat), pela aura ou invólucro etéreo (Ba; Anch), pelo veículo das paixões e emoções ou corpo astral (Khaba; Ka), pela alma animal (Seb; Ab-Hati), pela alma intelectual ou inteligência (Akhu; Bai), pela Alma Espiritual (Putah; Cheybi) e pelo Espírito ou Alma Divina (Atmu; Shu).
Na Índia a entidade máxima seria o Atma (Espírito), fonte primordial de onde emanariam todas as demais manifestações.O corpo físico (Sthula Sharira) seria envolto por um veículo composto pelo "éter", denominado Linga Sharira. Estas entidades, corpo físico e corpo etéreo, são energizadas pela força vital ou Prana, uma corrente do oceano de vitalidade (Jiva) ou fluido cósmico universal. Como princípios intermediários, temos o corpo das paixões, das emoções e dos sentimentos (Kama-Rupa), a mente ou alma humana (Manas), que se divide em Manas Inferior (Intelecto) e Manas Superior (Consciência). Num nível acima teríamos a alma espiritual ou Buddhi, que é a manifestação da Sabedoria Celestial, intuindo o homem ao auto-aperfeiçoamento moral e espiritual e acima dela o Atma. (4)

Hoje para o Espiritualistas de diferentes correntes do pensamento a Alma é uma substância imaterial, distinta do corpo e capaz de existir por si só. Para os Materialistas não existe alma, todas as ansiedades, as dores, o sentir e o pensar, fazem parte da função do organismo, sendo na realidade, o conjunto das funções do cérebro e da medula espinal. (5)
E para o Espiritismo O que é a alma? 
Allan Kardec ao questionar os Espíritos nesse sentido recebe as seguintes respostas: (6)

Que é a alma?
"Um Espírito encarnado."

a) - Que era a alma antes de se unir ao corpo?

"Espírito.".

b) - As almas e os Espíritos são, portanto, idênticos, a mesma coisa?

"Sim, as almas não são senão os Espíritos. Antes de se unir ao corpo, a alma é um dos seres inteligentes que povoam o mundo invisível, os quais temporariamente revestem um invólucro carnal para se purificarem e esclarecerem.".

              O emprego das duas palavras - alma e Espírito - como sinônimas, é comum na literatura. Por isso, anota Allan Kardec: "Seria mais exato reservar a palavra alma para designar o Princípio Inteligente e o termo Espírito para o ser semimaterial formado desse princípio e do corpo fluídico; mas, como não se pode conceber o princípio - inteligente isolado da matéria, nem o perispírito sem ser animado pelo princípio inteligente, as palavras alma e Espírito são, no uso, indiferentemente empregadas uma pela outra (...); filosoficamente, porém, é essencial fazer-se a diferença." (7).
              Para um melhor entendimento da relação corpo e alma e a morte os Espíritos superiores nos explicam que quando encarnado o homem é formado por três coisas: 1º, o corpo ou ser material análogo aos animais e animado pelo mesmo princípio vital; 2º, a alma ou ser imaterial, Espírito encarnado no corpo; 3º, o laço que prende a alma ao corpo, princípio intermediário entre a matéria e o Espírito.Tem assim o homem duas naturezas: pelo corpo, participa da natureza dos animais, cujos instintos lhe são comuns; pela alma, participa da natureza dos Espíritos. O laço ou perispírito, que prende ao corpo o Espírito, é uma espécie de envoltório semimaterial. A morte é a destruição do invólucro mais grosseiro, o corpo físico. ( 8) Complementando esta visão Léon DENIS observa: "Chamamos Espírito à alma revestida do seu corpo fluídico. A alma é o centro de vida do perispírito, como este é o centro de vida do organismo físico. Ela que sente, pensa e quer; o corpo físico constitui, com o corpo fluídico, o duplo organismo por cujo intermédio ela atua no mundo da matéria". (9)

Muita das vezes confunde-se o corpo físico com o Eu, assim como confunde-se o individuo pela roupa que veste.O que seria o nosso corpo, se não tivesse alma?"Simples massa de carne sem inteligência, tudo o que quiserdes, exceto um homem." Respondem os Espíritos à Allan Kardec (10). Assim como tiramos o traje social depois da festa e continuamos os mesmos, no modo de sentir e pensar, ao nos desprendermos do corpo físico a mesma identidade permanece.Por isso essa dúvida comum acode os pensamentos: no momento da morte sofremos? 

(...) A insensibilidade da matéria inerte é um fato, e só a alma experimenta sensações de dor e de prazer. Durante a vida, toda a desagregação material repercute na alma, que por este motivo recebe uma impressão mais ou menos dolorosa. É a alma e não o corpo quem sofre, pois este não é mais que instrumento da dor, nos diz Allan Kardec (1)

              É a alma que fornece ao homem o seu principio de vida e movimento. A alma humana é uma vontade livre e soberana, é a unidade consciente que domina todos os atributos, todas as funções, todos os elementos materiais do ser, como a alma divina domina, coordena e liga todas as partes do Universo para harmonizá-las. A dissolução das formas materiais prova simplesmente que a alma é separada do organismo por meio do qual se comunicava com o meio terrestre. Não deixa, por esse fato, de prosseguir a sua evolução em novas condições, sob formas mais perfeitas e sem nada perder da sua identidade (11).Esta separação não passa de uma etapa da vida.(...) "O nascer e o morrer são os pontos de inflexão da gigantesca senóide biológica que se desenvolve em alternâncias, às quais ora chamamos de vida, ora chamamos morte. Viver e morrer são os dois aspectos de um mesmo fenômeno, ao qual poderíamos chamar, simplificadamente, de vida apenas, pois a morte já está nela implícita." (12)". No passamento a rápida solução do problema liberatório depende em grande parte, da vida mental e dos ideais a que se liga o homem na experiência terrestre.

(...)Se o homem não se preparou, convenientemente, para a renúncia aos hábitos antigos e comodidades dos sentidos corporais, demorar-se-á preso ao mesmo campo de luta em que a veste de carne se decompõe e desaparece. E se esse homem complicou o destino, assumindo graves compromissos à frente dos semelhantes, através de ações criminosas, debater-se-á, chorará e reclamará embalde, porque as leis que mantêm coesos os astros do Céu e as células da Terra lhe determinam o encarceramento nas próprias criações.Inferiores." (13). Entretanto (...)as pessoas que na vida física pautaram o seu viver em harmonia com a ética do bem praticado e do cumprimento dos deveres consagrados, trabalhando construtivamente, amando solidariamente sem paixões egoísticas, puderam de imediato entrar em contato com os planos espirituais mais elevados, sentindo-se felizes na convivência com Espíritos afins em colônias espirituais cujo padrão vibratório e ambiental se caracteriza por uma atmosfera luminosa, a refletir beleza, harmonia e plenitude." (14).

Laurelucia Orive Lunardi
Julho / 2005
 
Bibliografia:
Kardec, Allan, " O Céu e Inferno" Segunda Parte, capitulo I item 1. Hernâni Cidade, Luís de Camões - Lírica, Círculo de Leitores, Lisboa, 1973. Frost JR., S. E. Ensinamentos Básicos dos Grandes Filósofos. São Paulo: ed. Cultrix. Stoddart, W. O Hinduismo, Ed EBRASA. Léon Denis, O Problema do ser do destino e da dor, FEB, 1979,p; 58. Kardec, Allan, " O Livro dos Espíritos ", questão 134 a e b Kardec, Allan, O Que É o Espiritismo". 379 ed., Rio de Janeiro: FEB, 1995, p. 155: Capo lI). Kardec, Allan, "O Livro dos Espíritos ", questão135.(9 )Léon Denis Cristianismo e Espiritismo". ed., Rio de Janeiro: FEB, p. 219. Kardec, Allan, "O Livro dos Espíritos ", questão141. Léon Denis, O Problema do ser do destino e da dor, FEB, 1979,p; 56. Andrade, Hernani Guimarães. "Morte, Renascimento, Evolução". 9_ ed., São Paulo: PENSAMENTO, 1993, p. 155: Capo XI). Francisco Candido Xavier, Irmão Jacob "Voltei", ed. FEB, 1994, pp. 63 e 64. Teixeira, Cícero Marcos. "Anatomia do Desencarne". Porto Alegre: KUARUP, 1997, p. 27: Cap. Z).
 
ENVIE SEU COMENTÁRIO
ADICIONAR AOS FAVORITOS
 
Documento sem título
 
  Menu
  Estudos
 Estudos Obras Básicas
ESTUDOS BATUIRA  O Livro dos Espíritos
ESTUDOS BATUIRA  O Livro dos Médiuns
ESTUDOS BATUIRA  O Evangelho Segundo o Espiritismo
ESTUDOS BATUIRA  O Céu e o Inferno
ESTUDOS BATUIRA  A Gênese
 Estudos sobre evangelização e mocidade
ESTUDOS BATUIRA  Evangelização Infantil
ESTUDOS BATUIRA  Mocidade Espírita Batuira
 Estudos temáticos
ESTUDOS BATUIRA  Estudo Evangélico
ESTUDOS BATUIRA  Ciência Rumo ao Espiritísmo
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Home
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Centro Batuira
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Loja Virtual
BATUIRA RIBEIRAO PRETO BELE
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Bazar
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Mensagens
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Poesias
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Reflexões Espíritas
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Coral
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Batuira em Coral
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Contato
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Onde estamos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Calendário C.E.B.
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Programação Especial
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Mapa do site
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Canal Batuira
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Galeria de Fotos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meu Cadastro
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meus favoritos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meus Pedidos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Minhas Participações
   
   
   
 
 
Receba nosso Newsletter
Receba nossas mensagens, calendário e estudos por e-mail
enviar
 
Rua Rodriges Alves, 588
Ribeirão Preto - S.P.
Cep: 14050-090 - Vila Tibério
  Centro Espirita Batuira Favoritos   Centro Espirita Batuira FACEBBOK
 Copyright 2014 | Centro Espírita Batuira- Todos os direitos reservados.          by vianett