Untitled Document
 
Olá! CONECTE-SE AO CEBATUIRA ou CADASTRE-SE!
Untitled Document
Sua cesta está vazia
Rua Rodriges Alves, 588
Ribeirão Preto - S.P.
Cep: 14050-090 - Vila Tibério

Centro Espírita Batuíra Favoritos Centro Espírita Batuíra FACEBBOK
 Home   Centro Espírita   Loja Virtual   BELE   Estudos   Efemérides   Mensagens   Onde Estamos   Contato 
 
Estudos Imprimir Indique voltar
O Céu e o Inferno  |  Capitulo III - O Céu   |  Item 10   |  01/03/2004
CÉU
Em geral, a palavra céu designa o espaço indefinido que circunda a Terra, e mais particularmente a parte que está acima do nosso horizonte. Vem do latim crelum, formada do grego coilos, côncavo, porque o céu parece uma imensa concavidade.
           
Os antigos acreditavam na existência de muitos céus superpostos, de matéria sólida e transparente, formando esferas concêntricas e tendo a Terra por centro.Girando essas esferas em torno da Terra, arrastavam consigo os astros que se achavam em seu circuito.Essa ideia, provinda da deficiência de conhecimentos astronômicos, foi a de todas as teogonias, que fizeram dos céus, assim escalados, os diversos degraus da bem-aventurança: o último deles seria abrigo da suprema felicidade.Segundo a opinião mais comum, havia sete céus , daí a expressão "estar no sétimo céu" para exprimir a ideia da perfeita felicidade. Os muçulmanos admitem nove céus, em cada um dos quais se aumenta a felicidade dos crentes. A teologia cristã reconhece três céus: o primeiro é o da região do ar e das nuvens; o segundo, o espaço em que giram os astros, e o terceiro, para além deste, é a morada do Altíssimo, a habitação dos que O contemplam face a face. É conforme a esta crença que se diz que S. Paulo foi alçado ao terceiro céu.Nas diferentes doutrinas religiosas a figura do Paraíso é , não só o lugar da bem aventurança das almas, bem como a morada do Todo-Poderoso, limitada esta região e se chama Céu .

Clique para ver imagem em tamanho maior
CÉU

Os Espíritos são criados simples e ignorantes, mas dotados de aptidões para tudo conhecer e para progredir, em virtude do seu livre-arbítrio. Pelo progresso adquirem novos conhecimentos, novas faculdades, novas percepções.Graças a lei imutável do Progresso a Terra não é mais entendida como o eixo do Universo, porém um dos menores astros que rolam na imensidão; o próprio Sol mais não é do que o centro de um turbilhão planetário; as estrelas são outros tantos inumeráveis sóis, em torno dos quais circulam mundos sem conta, separados por distâncias apenas acessíveis ao pensamento, embora se nos afigure tocarem-se. Neste conjunto grandioso, regido por leis eternas reveladoras da Sabedoria e Onipotência do Criador a Terra não é mais que um ponto imperceptível e um dos planetas menos favorecidos quanto à habitabilidade. Assim sendo, é lícito perguntar por que Deus faria da Terra a única sede da vida e nela degredaria o homem, obra prima da criação ? Especialmente agora, que valor teriam essas idéias, quando o conhecimento científico nos indica a presença de formas devidas em outros planetas ?Mais ainda, que singular anomalia colocaria o Autor de todas as coisas, Aquele que as governa, nos confins da criação, em vez de no centro, de onde o seu pensamento poderia, irradiante, abranger tudo!
           
As idéias do homem estão na razão do que ele sabe; como todas as descobertas importantes, a da constituição dos mundos deveria imprimir-lhes outro curso. Sob a influência desses conhecimentos novos, as crenças se modificaram; o Céu como centro da bem aventurança foi deslocado à região estelar.Onde está ele, pois? E ante esta questão emudecem todas as religiões.
           
O espiritismo, demonstrando o verdadeiro destino do homem,tomando-se por base sua natureza e os atributos divinos, chega-se à conclusão; de que o céu não é um local delimitado, circunscrito, mas decorrente do trabalho vibratório íntimo.
           
Mostra que o homem compõe-se de corpo Espírito e perispírito(Livro dos Espíritos capVI questão 135), o Espírito é o ser principal, racional, inteligente; o corpo é o invólucro material do qual o Espírito se serve temporariamente, para cumprimento da sua missão na Terra e execução de trabalhos necessários ao seu adiantamento. O corpo, usado, se destrói e o Espírito sobrevive à sua destruição, envolto pelo perispírito. Ausente do Espírito, o corpo é apenas matéria inerte, qual instrumento privado da mola real de função; sem o corpo, o Espírito é tudo: a vida, a inteligência. Em deixando o corpo, torna ao mundo espiritual, onde avalia a ultima existência, estuda aprende e planeja o próximo reencarne.
           
Existe, portanto, duas realidades vibratórias que se interpenetram: a dimensão corporal, composta de Espíritos encarnados; e a espiritual, formado pelos Espíritos desencarnados. Os seres do mundo corporal, devido à materialidade do seu envoltório, estão ligados à Terra ou a qualquer globo; o mundo espiritual ostenta-se por toda parte, interage na matéria como no Espaço, sem limite algum designado. Em razão da natureza fluídica do seu envoltório,conforme o grau evolutivo que detenha muitos, em lugar de se locomoverem penosamente, transpõem as distâncias com a rapidez do pensamento

Os Espíritos respondendo a Allan Kardec sobre a questão da existência de Céu ,Inferno e Paraíso , na Questão 1.011 de "O Livro dos Espíritos" : Haverá no Universo lugares circunscritos para as penas e gozos dos Espíritos, segundo seus merecimentos? 
Ensinam :- "Já respondemos a esta pergunta. As penas e os gozos são inerentes ao grau de perfeição dos Espíritos. Cada um tira de si mesmo o princípio de sua felicidade ou de sua desgraça. E como eles estão pôr toda a parte, nenhum lugar circunscrito ou fechado existe especialmente destinado a uma ou outra coisa. "
           
"A felicidade está na razão direta do progresso realizado, de sorte que, de dois Espíritos, um pode não ser tão feliz quanto outro, unicamente por não possuir o mesmo adiantamento intelectual e moral, sem que por isso precisem estar, cada qual, em lugar distinto. Ainda que juntos, pode um estar em trevas, enquanto que tudo resplandece para o outro, tal como um cego e um vidente que se dão as mãos: este percebe a luz da qual aquele não recebe a mínima impressão."
           
Uma comparação vulgar fará compreender melhor esta situação. Caso se encontrarem em um concerto dois homens, um, bom músico, de ouvido educado, e outro, desconhecedor da música, de sentido auditivo pouco delicado, o primeiro experimentará sensação de felicidade, enquanto o segundo permanecerá insensível, porque um compreende e percebe o que nenhuma impressão produz no outro. Assim sucede quanto a todos os gozos dos Espíritos, que estarão na razão da sua sensibilidade.
           
Sendo a felicidade inerente às suas qualidades, haurem-na eles em toda parte em que se encontram, seja à superfície da Terra, no meio dos encarnados, ou no espaço.O progresso é o fruto do próprio trabalho; mas, como são livres, investem no seu adiantamento com maior ou menor atividade, com mais ou menos negligência, segundo sua vontade, acelerando ou retardando o progresso e, por conseguinte, a própria felicidade.

Dando continuidade à resposta da Questão 1.011 de "O Livro dos Espíritos". Confirmam os Espíritos:-

"Quanto aos encarnados, esses são mais ou menos felizes ou desgraçados, conforme é mais ou menos adiantado o mundo em que habitam." 
Nessa imensidade ilimitada, onde está o Céu? Em toda parte. Nenhum contorno lhe traça limites. Os mundos adiantados são as últimas estações do seu caminho, que as virtudes franqueiam e os vícios interditam. Ante este quadro grandioso que povoa o Universo, que dá a todas as coisas da Criação um fim e uma razão de ser, quanto é pequena e mesquinha a doutrina que circunscreve a Humanidade a um ponto imperceptível do Espaço que no-la mostra começando em dado instante para acabar igualmente com o mundo que a contém, não abrangendo mais que um minuto na Eternidade!

Laurelucia Orive Lunardi
Março / 2004
 
Bibliografia:
Allan Kardec "Livro dos Espíritos". Allan Kardec " Céu e Inferno" capitulo III.
 
ENVIE SEU COMENTÁRIO
ADICIONAR AOS FAVORITOS
 
Documento sem título
 
  Menu
  Estudos
 Estudos Obras Básicas
ESTUDOS BATUIRA  O Livro dos Espíritos
ESTUDOS BATUIRA  O Livro dos Médiuns
ESTUDOS BATUIRA  O Evangelho Segundo o Espiritismo
ESTUDOS BATUIRA  O Céu e o Inferno
ESTUDOS BATUIRA  A Gênese
 Estudos sobre evangelização e mocidade
ESTUDOS BATUIRA  Evangelização Infantil
ESTUDOS BATUIRA  Mocidade Espírita Batuira
 Estudos temáticos
ESTUDOS BATUIRA  Estudo Evangélico
ESTUDOS BATUIRA  Ciência Rumo ao Espiritísmo
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Home
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Centro Batuira
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Loja Virtual
BATUIRA RIBEIRAO PRETO BELE
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Bazar
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Mensagens
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Poesias
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Reflexões Espíritas
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Coral
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Batuira em Coral
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Contato
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Onde estamos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Calendário C.E.B.
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Programação Especial
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Mapa do site
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Canal Batuira
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Galeria de Fotos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meu Cadastro
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meus favoritos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meus Pedidos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Minhas Participações
   
   
   
 
 
Receba nosso Newsletter
Receba nossas mensagens, calendário e estudos por e-mail
enviar
 
Rua Rodriges Alves, 588
Ribeirão Preto - S.P.
Cep: 14050-090 - Vila Tibério
  Centro Espirita Batuira Favoritos   Centro Espirita Batuira FACEBBOK
 Copyright 2014 | Centro Espírita Batuira- Todos os direitos reservados.          by vianett