Untitled Document
 
Olá! CONECTE-SE AO CEBATUIRA ou CADASTRE-SE!
Untitled Document
Sua cesta está vazia
Rua Rodriges Alves, 588
Ribeirão Preto - S.P.
Cep: 14050-090 - Vila Tibério

Centro Espírita Batuíra Favoritos Centro Espírita Batuíra FACEBBOK
 Home   Centro Espírita   Loja Virtual   BELE   Estudos   Efemérides   Mensagens   Onde Estamos   Contato 
 
Estudos Imprimir Indique voltar
O Livro dos Espíritos  |  Capítulo IV     |  03/12/2012
SERES ORGÂNICOS E INORGÂNICOS - INTRODUÇÃO E QUESTÕES DE 60 A 67A - PARTE IV
             Contendo os princípios da Doutrina Espírita sobre a imortalidade da alma, a natureza dos Espíritos e suas relações com os homens, as leis morais, a vida presente, a vida futura e o porvir da Humanidade (Segundo o ensinamento dos Espíritos superiores, através de diversos médiuns, recebidos e ordenados por Allan Kardec)

Livro Primeiro: As Causas Primárias

Capítulo I
 DeusQ. 1 a 16
Capítulo II
 Elementos Gerais do UniversoQ. 17 a 36
Capítulo III
 CriaçãoQ. 37 a 59
Capítulo IV
 Princípio VitalQ. 60 a 75a
 
ISeres Orgânicos e InorgânicosQ. 60 a 67a
IIA Vida e a MorteQ. 68 s 70
IIIInteligencia e InstintoQ. 71 a 75a

Capítulo IV – Seres Orgânicos e Inorgânicos - Introdução e questões de 60 a 67ª (Desenvolveremos em bloco as questões seguintes até a 67a)

Destes estudos sequenciais decorrem duas questões e a primeira já foi analisada no estudo anterior e agora vamos à questão b:

             b) Essa matéria é invenção do Espiritismo?

Neste item há que se responder que esse pensar ou essa matéria não é invenção do Espiritismo e nem é nova. Faz parte de quase todas as religiões antigas; foi defendida por alguns cientistas do passado; criticada por Einstein, e sendo retomada por vários pesquisadores atuais, embora estes não façam ligação entre sua existência e a onipresença e onipotência de um Criador.
             
Retrocedendo no tempo, desde idades remotas o homem questiona-se sobre a natureza e destino do Universo e do mundo em que vive.
             
Entre os antigos, são encontradas alusões referindo-se à existência de uma substância primordial, um meio invisível e tênue que a tudo penetra e dá origem ao mundo tangível.
             
Na China recebeu o nome de “chi”; no Tibete, “alayama – vijnana”; na Índia, “akasha”.
             
Os gregos, através de Anaximandro, filósofo pré-socrático, referiam-se à substância como “apeiron”. Os pitagóricos, “apeiron-pneuma”. Hesíodo, Homero, Aristóteles: “aither”.
             
Entre os alquimistas, a ideia era geral, entretanto, o nome variava de uma região à outra: “hilé”; “iler”; “staffe”, “prótilo”, “misterium magnum” e “arqueu”.
             
Apenas o termo grego “aither” (ar; céus, regiões superiores; éter em português) se popularizou passando a posteridade.
             
Provavelmente foram os alquimistas, precursores do método experimental (que parte do efeito para descobrir a causa), que legaram a teoria do Éter aos primeiros cientistas.
             
O físico holandês Christian Huygens, em 1678, foi o primeiro a formular uma teoria sobre a luz, admitindo o Éter, como meio no qual as ondas luminosas se propagavam. Isaac Newton, no século XVIII, aceita a existência dessa substância, embora ambos não conseguissem sair da especulação filosófica, uma vez que não comprovaram experimentalmente a veracidade da hipótese.
             
Só em 1885, aparecerão as primeiras experiências através dos físicos americanos Michelson e Morley. Construíram um aparelho, o interferômetro, e dividiram o raio luminoso em dois. Metade foi enviada na direção do movimento de translação da Terra; a outra metade na direção oposta. Segundo a lógica do experimento, se o espaço fosse cheio de Éter, a metade contrária à translação deveria ser retardada, quando ambas fossem recombinadas, por causa da resistência imposta pela poeira etérica.
             
Experiência realizada, os resultados mostraram que as duas metades do raio luminoso levaram exatamente o mesmo tempo para se deslocarem em direções opostas. Se o Éter existia, não oferecia obstáculo à propagação da luz.
             
Por causa disso, Einstein, achou que, literalmente, ela não podia existir. Propôs que o conceito de Éter fosse substituído pelo de campo (para entendermos ‘campo’ basta imaginarmos a região iluminada pela chama de uma vela).
             
Explicando: qualquer corpo é circundado por um campo de força gravitacional e eletromagnético. Quando a situação, o comportamento ou a estrutura desse corpo se altera, também o seu corpo se modifica. As ondas, então, seriam perturbações de campo, causadas por alterações na estrutura atômica dos corpos.

Essas duas experiências sepultaram a tese da matéria cósmica?

No caso do Éter oitocentista e seu hipotético suporte das ondas eletromagnéticas, sim. Não, porém, da substância concebida e defendida pela Doutrina Espírita.

 André Luiz analisando essa questão em “Mecanismos da Mediunidade” afirma:

“(...) A proposição de Einstein, no entanto, não resolve o problema, porque a indagação quanto à matéria de base para o campo, continua desafiando o raciocínio, motivo pelo qual (...) definiremos o meio sutil em que o Universo se equilibra como sendo o Fluido Cósmico ou Hálito Divino, a força para nós inabordável que sustenta a Criação”.
Einstein, mais tarde, com a teoria da equivalência e reversibilidade entre energia e matéria retificou um dos atributos essenciais do Fluido Universal, que é o de ser o princípio da nossa matéria física.
             
É importante lembrar que a Teosofia e outras escolas neoespiritualistas continuam a chamar a substância primordial de Éter, causando certa confusão com o conceito que Michelson-Morley e Einstein derrubaram.
            
 Atualmente, com base nas teses quânticas e relativistas, a ideia de uma substância a permear o espaço volta a ser considerada.
             
Há estudos editados a respeito, por respeitáveis autores que passamos àqueles que querem se aprofundar no assunto.
             - “As Razões da Coincidência” – Arthur Koesther – Editora Nova Fronteira.
             - “SCIENCE” – revista – A. W. Stern pag. 493 a 496.
             - “O Homem e os Imponderáveis” – André Gueret e Pierre Oudinot –Editora Pensamento.
             - “SCIENTIFIC AMERICAN” – Howard George - abril 1981 – “A Unifield Theory of Elementary Particles and Forces” – matéria esta em idêntica correlação à que o Espírito André Luiz faz em “Mecanismos da Mediunidade” no capítulo “Fluido Cósmico e Fotônios”.

Todo o constante nessas matérias expressam exatamente o que é o Fluido Universal?

É possível que esse fluido seja algo mais transcendente e que as substâncias citadas sejam apenas algumas de suas condensações. Não podemos esquecer mais uma vez o Espírito André Luiz quando em “Evolução em Dois Mundos”, ensina que “(...) o Fluido Universal é a força nervosa da Divindade”.

             “(...) Por isso a Ciência oficial ainda levará certo tempo para penetrar na intimidade dessa misteriosa substância. O que não impedirá que nós, espíritas, continuemos a aceitar a existência do Fluido Cósmico Universal, conforme os preceitos da Codificação Espírita”. Aliás, novamente André Luiz em “Mecanismos da Mediunidade”, avisa que o completo ensinamento desse fluido é inabordável ao nosso conhecimento. 
Nota: parte do estudo apoiado em “O Imortal” matéria do companheiro Mauro Quintela de Brasília DF.

 Fechamos esses raciocínios com “O Livro dos Espíritos” nas questões:

             • 17 - Pode o homem conhecer o princípio das coisas?
             - Não. Deus não permite que tudo seja revelado ao homem aqui na Terra.

             • 18 - O Homem penetrará um dia o mistério das coisas que lhe são ocultas?
             - O véu se ergue à medida que ele se depura, mas para a compreensão de certas coisas, necessita de faculdades que ainda não possui.

             • 19 - O homem não poderá, pelas investigações da ciência, penetrar alguns dos segredos da Natureza?
             - A Ciência lhe foi dada para o seu adiantamento em todos os sentidos, mas ele não pode ultrapassar os limites fixados por Deus.

Quanto mais é permitido ao homem penetrar nesses mistérios, maior deve ser a sua admiração pelo poder e a sabedoria do Criador. Mas, seja por orgulho, seja por fraqueza, sua própria inteligência o torna joguete da ilusão. Ele acumula sistemas sobre sistemas e cada dia que passa mostra quantos erros tomou por verdades e quantas verdades repeliu como erros. São outras tantas decepções para o seu orgulho.”

Depois desses estudos, como caminharemos para uma síntese? É o que veremos no próximo estudo.

Leda Marques Bighetti 
Dezembro / 2012
 
Bibliografia:
Para aprofundamento, encontraremos bibliografia em “A Gênese” – cap. X e XI: “Deus na natureza” – Camille Flammarion II; 
“Revista Espírita” ano 1866 pag. 67-71 a 77; 1861 – pag. 45 e 1868 pag. 166 – 1859 pag. 80;
 “Evolução em Dois Mundos” cap 1;
 “Mecanismos da Mediunidade” cap III, ambos de André Luiz e “O Livro dos Médiuns” itens 75-77 e 98. 
Também no livro Educação Mediúnica – Teoria e Prática - vol. 1 - Ribeirão Preto: BELE, 2005 de Leda Marques Bighetti
 
ENVIE SEU COMENTÁRIO
ADICIONAR AOS FAVORITOS
 
Documento sem título
 
  Menu
  Estudos
 Estudos Obras Básicas
ESTUDOS BATUIRA  O Livro dos Espíritos
ESTUDOS BATUIRA  O Livro dos Médiuns
ESTUDOS BATUIRA  O Evangelho Segundo o Espiritismo
ESTUDOS BATUIRA  O Céu e o Inferno
ESTUDOS BATUIRA  A Gênese
 Estudos sobre evangelização e mocidade
ESTUDOS BATUIRA  Evangelização Infantil
ESTUDOS BATUIRA  Mocidade Espírita Batuira
 Estudos temáticos
ESTUDOS BATUIRA  Estudo Evangélico
ESTUDOS BATUIRA  Ciência Rumo ao Espiritísmo
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Home
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Centro Batuira
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Loja Virtual
BATUIRA RIBEIRAO PRETO BELE
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Bazar
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Mensagens
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Poesias
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Reflexões Espíritas
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Coral
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Batuira em Coral
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Contato
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Onde estamos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Calendário C.E.B.
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Programação Especial
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Mapa do site
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Canal Batuira
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Galeria de Fotos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meu Cadastro
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meus favoritos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meus Pedidos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Minhas Participações
   
   
   
 
 
Receba nosso Newsletter
Receba nossas mensagens, calendário e estudos por e-mail
enviar
 
Rua Rodriges Alves, 588
Ribeirão Preto - S.P.
Cep: 14050-090 - Vila Tibério
  Centro Espirita Batuira Favoritos   Centro Espirita Batuira FACEBBOK
 Copyright 2014 | Centro Espírita Batuira- Todos os direitos reservados.          by vianett