Untitled Document
 
Olá! CONECTE-SE AO CEBATUIRA ou CADASTRE-SE!
Untitled Document
Sua cesta está vazia
Rua Rodriges Alves, 588
Ribeirão Preto - S.P.
Cep: 14050-090 - Vila Tibério

Centro Espírita Batuíra Favoritos Centro Espírita Batuíra FACEBBOK
 Home   Centro Espírita   Loja Virtual   BELE   Estudos   Efemérides   Mensagens   Onde Estamos   Contato 
 
Estudos Imprimir Indique voltar
O Livro dos Espíritos  |  Introdução do Estudo da Doutrina Espírita   |  Item XVII   |  01/03/2004
PREENCHENDO OS VAZIOS DO ESPAÇO
As reflexões de Allan Kardec, neste item, levam a analisar, as causas que, de modo geral podem levar o homem ao ceticismo, duvidando de tudo, negando inclusive, que a Doutrina Espírita contém qualquer parcela da Verdade.
           
 Apresenta-nos quatro aspectos mais comuns capazes, cada um por sí, de levar o homem a esse estado de descrença.
             
Primeiro - a oposição sistemática - proveniente quase sempre do conhecimento incompleto dos fatos. Estes, atém-se aos fenômenos. Por desconhecerem métodos, situações, condições facilitadoras ou impeditivas, dependentes das leis que regulam o fato, ao se posicionarem frente a eles, obterão resultados insatisfatórios, decepcionantes. Por conseguinte, escolhem a oposição, negando-os.
             
O segundo decorre do interesse - o indivíduo passa a usar o conhecimento real ou não, para adquirir bens, buscar fins materiais, obter e advogar interesses próprios.
             
Em determinado instante, conseguidos seus objetivos, vangloria-se da capacidade, atribui todo resultado ao mérito e capacidade pessoal.
             
Num terceiro aspecto - a falta de bom senso, que não lhes permite discernir o falso do verdadeiro. Não aplicam a razão, a lógica para analisar os fatos da vida, fixam-se em impulsos, sem ponderar que, circunstâncias aparentemente simples tem muitos ângulos, liga-se a vários outros, que nesse passar de olhos superficial perde-se. Crêem tudo saber, opinam sobre tudo, são infalíveis, sem perceber que o maior indício de bom senso é saber dos próprios limites, da falibilidade onde ninguém se constitui como o dono da Verdade.
             
A quarta causa, a curiosidade, onde busca-se a Doutrina apenas no que acham sobrenatural, mistério, maravilhoso, encantamento em fórmulas mágicas, desconhecendo que "O Livro dos Espíritos" se propõe exatamente a estudar algo mais que acontecimentos estranhos em passatempos.
             
Pergunta-se - mesmo pessoas com algum conhecimento, poderiam em algum momento negar, envolvendo-se no ceticismo.
             
Num primeiro momento, entender que esse conhecimento é insuficiente, uma vez que não levou-o a praticar o saber, mantendo-se atento, vigilante, analisando a sintonia em que se deixa ficar. Comprazendo-se em posições dúbias conflitantes, sem definição, facilmente, pode entrar em faixas de descrença, que infundindo desânimo, desperta um lado negativo que minam as melhores disposições. Decorrente, instalar-se-á o desgosto pelo estudo, o afastamento de pessoas e locais onde o ideal é mantido.
             
Outro aspecto, este bastante comum, decorre de fixar-se a beleza, a grandiosidade da Doutrina, nas pessoas que de um modo ou outro, explanam, divulgam os princípios básicos. Quando esse eixo se inverte, dando importância ao dirigente ou divulgador, e não a Doutrina, qualquer decepção em relação ao primeiro, é motivo para negar-se o segundo.
             
Os inovadores, também se constituem como pontos destacados na dissidência ao pensamento espírita formando partidos onde as interpretações pessoais desvinculam-se da Codificação.
             
Daí a imperiosidade de estudar, conhecer para ter condição de comparar, aferir, se for o caso a fim de que não se entregue o homem às utopias dos novos sistemas.
             
Saber que a Ciência Espírita contém duas partes:

•   a experimental - que se ocupa, trata das manifestações em geral.
•   a filosófica - sobre as manifestações inteligentes, é imprescindível. Se nos detivermos em apenas uma delas, ficaremos na posição daquele que só vê uma nuance do conjunto.
            
 A Doutrina Espírita está no ensinamento dado pelos Espíritos. São tão intensos, sérios, que não há outra forma de percebê-los, senão através do estudo profundo, continuado, feito no silêncio e no recolhimento. Sem isso um número infinito de detalhes escapam ao observador superficial, e não lhe permitindo ver o todo, o objetivo, a finalidade, impede-o de formar opinião firme, segura, precisa.
             
Observando a Natureza destaca-se a série de seres que a compõem formando cadeia sem solução de continuidade, desde a matéria bruta até o homem. Se aplicarmos o mesmo raciocínio, caminhando desse homem até Deus, no primeiro momento encontrar-se-á um hiato, não há continuidade, suscitando tal raciocínio três questionamentos:

1.   é o homem o último elo da cadeia?
2.   transporia ele, de modo direto, sem escalas, essa distância que se interpõe entre ele e Deus?
3.   se há algo nesse espaço, o que é? Quem o preenche?

             A Ciência filosófica da Doutrina Espírita explica esse vazio, quando ensina que o homem não é o último elo da cadeia evolutiva. Depois dele até Deus, há uma imensa população de seres, em todas as categorias, em todos os graus de desenvolvimento ou atraso, interligados em caminhada na volta para o Pai, onde esses seres dos espaços invisíveis nada mais são do que os Espíritos dos homens, que quando encarnados, também se caracterizavam pelos diferentes graus de perfeição ou imperfeição, provando que não há espaços vazios, tudo se encadeando na busca da Perfeição.

             ... "concluiremos com uma derradeira consideração. Os astrônomos, sondando os espaços, encontraram na distribuição dos corpos celestes lacunas injustificáveis e em desacordo com as leis do conjunto. Suspeitaram que essas lacunas deviam corresponder a corpos que haviam escapado às observações. Por outro lado, observaram certos efeitos, cuja causa lhes era desconhecida e disseram a si mesmos: - 'Ali deve haver um mundo, porque essa lacuna não pode existir e esses efeitos devem ter uma causa.' Julgando então, da causa pelos efeitos puderam calcular os elementos, e mais tarde os fatos vieram justificar as suas previsões. Apliquemos este raciocínio a outra ordem de idéias."

Leda Marques Bighetti
Março / 2004
 
Bibliografia:
Kardec, Allan - "O Livro dos Espíritos" - Introdução XVII 
Kardec, Allan - "Revista Espírita" - 1862 - Setembro
 
ENVIE SEU COMENTÁRIO
ADICIONAR AOS FAVORITOS
 
Documento sem título
 
  Menu
  Estudos
 Estudos Obras Básicas
ESTUDOS BATUIRA  O Livro dos Espíritos
ESTUDOS BATUIRA  O Livro dos Médiuns
ESTUDOS BATUIRA  O Evangelho Segundo o Espiritismo
ESTUDOS BATUIRA  O Céu e o Inferno
ESTUDOS BATUIRA  A Gênese
 Estudos sobre evangelização e mocidade
ESTUDOS BATUIRA  Evangelização Infantil
ESTUDOS BATUIRA  Mocidade Espírita Batuira
 Estudos temáticos
ESTUDOS BATUIRA  Estudo Evangélico
ESTUDOS BATUIRA  Ciência Rumo ao Espiritísmo
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Home
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Centro Batuira
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Loja Virtual
BATUIRA RIBEIRAO PRETO BELE
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Bazar
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Mensagens
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Poesias
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Reflexões Espíritas
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Coral
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Batuira em Coral
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Contato
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Onde estamos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Calendário C.E.B.
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Programação Especial
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Mapa do site
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Canal Batuira
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Galeria de Fotos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meu Cadastro
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meus favoritos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meus Pedidos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Minhas Participações
   
   
   
 
 
Receba nosso Newsletter
Receba nossas mensagens, calendário e estudos por e-mail
enviar
 
Rua Rodriges Alves, 588
Ribeirão Preto - S.P.
Cep: 14050-090 - Vila Tibério
  Centro Espirita Batuira Favoritos   Centro Espirita Batuira FACEBBOK
 Copyright 2014 | Centro Espírita Batuira- Todos os direitos reservados.          by vianett