Untitled Document
 
Olá! CONECTE-SE AO CEBATUIRA ou CADASTRE-SE!
Untitled Document
Sua cesta está vazia
Rua Rodriges Alves, 588
Ribeirão Preto - S.P.
Cep: 14050-090 - Vila Tibério

Centro Espírita Batuíra Favoritos Centro Espírita Batuíra FACEBBOK
 Home   Centro Espírita   Loja Virtual   BELE   Estudos   Efemérides   Mensagens   Onde Estamos   Contato 
Efemérides Espíritas
voltar Imprimir
Primeira tradução de “O Livro dos Espíritos” no Brasil
Data: 15/01/1875

15 de janeiro de 1875 – Primeira tradução de “O Livro dos Espíritos” no Brasil    

 

     O tema pressupõe, para que se entenda sua importância, que retrocedamos no tempo.

     Assim, voltamos aos fenômenos de Hydesville, a mediunidade das Irmãs Fox (1848), a propagação desses fatos e ideias para Alemanha e, daí principalmente para Paris com as “mesas girantes” que se tornaram modismo popular.

      Despertando atenção do Professor Rivail, o resultado de suas pesquisas e estudos culminará em 18 de abril de 1857 com a edição de “O Livro dos Espíritos” quando passa a assinar-se Allan Kardec.

      Antes desse tempo, aqui no Brasil, praticantes da homeopatia se reuniam a outros estudiosos que tinham interesse em torno do fluido vital, magnetismo, mesmerismo. Estes, se viram entusiasmados com a chegada em 1840, de Benoit Mure, francês, e João Vicente Martins, português, ambos médicos homeopatas, um deles psicógrafo, o outro clarividente, e que usavam passes como transmissores de energias complementares às consultas e tratamentos que realizavam.

     Encontrando aqui várias personalidades interessadas pelo assunto, antes, portanto de Allan Kardec com o lançamento de “O Livro dos Espíritos”, constituíram um grupo para estudo da realidade transcendente, tido como o mais antigo que se tem notícia e liderados pelo médico e historiador Mello de Morais.

      Em 1853, o jornal “O Cearense” publica notícias, informações sobre “as mesas girantes”.

      Em 1865, Telles de Menezes funda o Grupo Familiar do Espiritismo que se coordenava segundo o que se ouvia dizer aqui e ali. A partir de 1866, uma tipografia em São Paulo, publica “O Espiritismo na sua Expressão mais Simples”. Em Salvador, 1869, sob a direção do nosso conhecido Telles de Menezes começa a circular a revista “Echo de Além-Túmulo”.

     Em agosto de 1857, na cidade de Salvador, Telles de Menezes passou a ter conhecimento dos fenômenos que aconteciam na França, passando a corresponder-se com espíritas franceses e dando nova feição a um grupo que funda.

     O Rio de Janeiro era a capital do Império e aí as primeiras sessões eram realizadas por franceses, muitos deles exilados pelo governo de Napoleão III.

     De 1860 em diante, várias obras, sobre os assuntos que tanto interessavam a esses homens, são traduzidas. Nessa época, o Jornal do Commércio, em 23 de agosto de 1863, na sessão “Crônicas de Paris” comenta uma peça sobre Espíritos, levada no teatro em Paris. Allan Kardec, na Revista Espírita também a comenta, analisando-a como superficial, sem aprofundamento “...pelo menos ele não julga pelo que não sabe” e complementa:

     “Verificamos com satisfação que a ideia espírita faz progressos sensíveis no Rio de Janeiro, onde ela conta com número de representantes fervorosos, devotados. A pequena brochura “O Espiritismo na sua expressão mais simples” publicada em língua portuguesa contribuiu não pouco, para espalhar os verdadeiros princípios da Doutrina”. 

      Em 1873, é fundada a Sociedade de Estudos Espiríticos – Grupo Confúcio -. Em seus estatutos consta que deveria seguir todas as formalidades expostas em “O Livro dos Espíritos” e em “O Livro dos Médiuns”, podendo incluir o receituário gratuito da homeopatia e aplicação de passes. Fazia parte desse grupo, personalidades importantes do Império, entre elas o Dr. Travassos que contribui com aquilo que é lembrado como maior virtude do grupo – a tradução das Obras Básicas, e, para entender o seu momento, é que precisamos conhecer no clima, na situação limitada dos conhecimentos de então.

     A família Travassos, composta por três irmãos, perseguidos em Portugal pelo regime dominante (1580/1640), aportaram em terras brasileiras em busca de refúgio. Um dos irmãos se radica na Ilha Grande, casa-se, constitui família e, em 1839, nasce Joaquim Carlos que após os estudos básicos, aos dezessete anos ingressa na Faculdade de Medicina, obtendo em 27 de novembro o grau buscado.

     Dr. Travassos conhece a ideia espírita na época em que os dois opúsculos “O Espiritismo na sua Expressão mais simples” e “Introdução ao Estudo da Doutrina Espírita”, ambos sem o nome do tradutor, passam a existir em língua portuguesa. Ele, porém, como integrante da elite educada do país, estudava os livros básicos da Codificação no idioma em que haviam sido escritos – o francês.

      Fervoroso adepto, já o vimos unido a outros estudiosos interessados nas causas, leis, constituindo e integrando a Sociedade de Estudos Espiríticos – o Grupo Confúcio -, considerado o primeiro centro espírita da capital do Império. Dr. Travassos era o Secretário Geral.

      Nessa época, a massa da população não lia francês. Grupos que se diziam espíritas surgiam aqui e ali, porém, improvisavam sem ao menos terem conhecimentos mínimos.

      Analisando tudo isso e principalmente a boa vontade das pessoas, tomou a si a tarefa de traduzir “O Livro dos Espíritos”. Adota o pseudônimo de Fortúnio* e em 15 de janeiro de 1875, em tradução da 20º edição francesa surge a primeira edição de “O Livro dos Espíritos” em língua portuguesa pela Editora B.L.Garnier.

      Deve-se também ao Dr. Travassos, a “conversão” do Dr. Bezerra, pois tão logo o livro saiu do prelo, fez questão de oferecer ao grande amigo, com singela dedicatória, o livro que despertará o ilustre político à Doutrina Espírita.

*Pseudônimo: - fenômeno antigo na história através do qual, por motivos pessoais mascara-se a identidade real. Não encontramos matéria referenciando o porquê do Dr. Travassos ter escolhido assinar-se “Fortúnio” na tradução de “O Livro dos Espíritos”. Quem souber, favor anexar.

Fonte: Personalidades do Espiritismo – Paulo A. Godoy/ Grandes Espíritas do Brasil – Zeus Wantuil/ Homeopatia e Espiritismo L. S. Thiago

Leda Marques Bighetti – Janeiro/2018
 
 Efemérides Espíritas
Janeiro
Fevereiro
Março
Abril
Maio
Junho
Julho
Agosto
Setembro
Outubro
Novembro
Dezembro
   
 
  Menu
  Estudos
 Estudos Obras Básicas
ESTUDOS BATUIRA  O Livro dos Espíritos
ESTUDOS BATUIRA  O Livro dos Médiuns
ESTUDOS BATUIRA  O Evangelho Segundo o Espiritismo
ESTUDOS BATUIRA  O Céu e o Inferno
ESTUDOS BATUIRA  A Gênese
 Estudos sobre evangelização e mocidade
ESTUDOS BATUIRA  Evangelização Infantil
ESTUDOS BATUIRA  Mocidade Espírita Batuira
 Estudos temáticos
ESTUDOS BATUIRA  Estudo Evangélico
ESTUDOS BATUIRA  Ciência Rumo ao Espiritísmo
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Home
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Centro Batuira
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Loja Virtual
BATUIRA RIBEIRAO PRETO BELE
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Bazar
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Mensagens
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Poesias
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Reflexões Espíritas
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Coral
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Batuira em Coral
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Contato
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Onde estamos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Calendário C.E.B.
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Programação Especial
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Mapa do site
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Canal Batuira
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Galeria de Fotos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meu Cadastro
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meus favoritos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Meus Pedidos
BATUIRA RIBEIRAO PRETO Minhas Participações
   
   
   
 
 
Receba nosso Newsletter
Receba nossas mensagens, calendário e estudos por e-mail
enviar
 
Rua Rodriges Alves, 588
Ribeirão Preto - S.P.
Cep: 14050-090 - Vila Tibério
  Centro Espirita Batuira Favoritos   Centro Espirita Batuira FACEBBOK
 Copyright 2014 | Centro Espírita Batuira- Todos os direitos reservados.          by vianett